Brasil
Publicada em 06/10/2015 - 09h45
Secovi-SP lança o Programa de Ecoeficiência em Condomínios
Iniciativa, em parceria com o CBCS, tem a meta de criar o primeiro banco de dados com os consumos de energia elétrica, gás e água de áreas comuns em condomínios residenciais em São Paulo

O Secovi-SP (Sindicato da Habitação), em parceria com o CBCS (Conselho Brasileiro de Construção Sustentável), acaba de lançar o Programa de Ecoeficiência em Condomínios, cuja meta é fazer levantamentos sobre o estágio do consumo médio de água, luz e gás de áreas comuns em edifícios residenciais na capital paulista, criando o primeiro banco de dados do tipo. A iniciativa é das vice-presidências de Sustentabilidade, de Tecnologia e Qualidade, e de Administração Imobiliária e Condomínios do Sindicato.

A partir da coleta dos dados, condomínios poderão comparar o seu consumo com outros semelhantes e verificar se seus gastos estão na média, abaixo ou acima. Neste caso, será possível investigar a existência de problemas como vazamentos, mau uso dos recursos ou desperdícios, e adotar medidas corretivas. Só para se ter uma ideia da participação desses itens nas despesas ordinárias mensais de um condomínio residencial regular, estima-se que a conta de luz represente entre 10% e 12% e água, de 12% a 15%.

A adesão de síndicos, além do apoio das administradoras, é fundamental para o sucesso do Programa, cuja primeira etapa consiste exatamente no levantamento de dados. Eles poderão preencher o formulário no site com as informações de consumo do seu condomínio dos últimos 12 meses. Basta se cadastrar e iniciar o preenchimento, seguindo as instruções. A coleta será feita até 31/10/2015.

Razões para participar

Há motivos de sobra para participar desse levantamento. Primeiramente, há uma crise hídrica sem precedentes, a qual obrigou a adoção de providências emergenciais com vistas ao uso racional dos recursos.

Além disso, a elevação de tarifas de água e energia estão preocupando os cidadãos, haja vista que os porcentuais aplicados estão bem acima do reajuste da renda da maioria dos condôminos.

Mensalmente, o Secovi-SP realiza relevante estudo para acompanhar a evolução das despesas em edificações residenciais: o Índice de Custos Condominiais (Icon).

No mês de julho, o item "Tarifas" do Icon - referente a água, energia e gás - registrou uma variação de 24,22% no acumulado do ano (janeiro a julho de 2015).

De acordo com o Índice, de janeiro a julho de 2015, a variação acumulada da conta de energia foi de 36,6%, a de água, 22,81%, e a de gás, 5,85%.

Considerando-se os primeiros sete meses dos últimos cinco anos, a conta de energia só sofreu aumento significativo em 2014 (de 11,22%). E em 2013 houve decréscimo de 9,81%. A conta de água permaneceu estável praticamente todos os anos, exceto em 2013, quando houve aumento de 2,4%. Já a despesa com gás apresentou altas em 2011 (5,17%), em 2012 (10,09%), em 2013 (6,48%) e 2014 (3%) – a exceção foi em 2010 (-0,5%).

Segundo Hubert Gebara, vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP, o Programa de Ecoeficiência em Condomínios será muito útil para os condomínios. “Para que o Programa seja bem-sucedido, contamos com a participação dos síndicos, que terão uma ferramenta para o controle de gastos das referidas contas e para a elaboração de medidas corretivas e preventivas, favorecendo a saúde financeira dos empreendimentos, além de contribuir para a preservação dos recursos naturais, que são finitos."

As informações serão analisadas e consolidadas pelo CBCS, formando a primeira base de dados para comparações anuais. Os resultados serão publicados no próprio site do Programa. "Esta iniciativa irá permitir que cada vez mais pessoas acessem informações e referências atuais sobre o consumo de energia nas áreas comuns de suas moradias e, com isso, poderá estimular a conscientização sobre a necessária mudança de comportamento para o uso racional e a possível adoção de novas tecnologias e fontes alternativas de energia em empreendimentos residenciais", explica Roberto Lamberts, conselheiro e coordenador do Comitê Temático Energia do CBCS. "Ao comparar o seu consumo real com a referência, o participante poderá identificar oportunidades de melhorias e ganhos não somente econômicos, mas, também, que envolvem as esferas da educação social e da preservação ambiental", conclui Lamberts.

Uma segunda etapa consistirá no fornecimento de dicas e orientações sobre medidas que podem ser adotadas, com vistas à redução das despesas condominiais.

Crise econômica

“Um velho ditado ensina: ‘quem não mede, não gere’. Como nunca a gestão se mostra indispensável para controlar as despesas de um condomínio, haja vista que, mediante o difícil cenário econômico, a inadimplência tende a aumentar”, reforça Gebara.

Segundo levantamento do Secovi-SP, em julho deste ano, o número de ações judiciais por falta de pagamento da taxa condominial na cidade de São Paulo apresentou alta 74,8% em comparação com o mesmo mês de 2014. No acumulado de janeiro a julho houve variação de 37,6% em relação a igual período do exercício anterior.

“Como a multa por atraso no pagamento do condomínio é de apenas 2%, as pessoas optam por pagar as faturas do cartão de crédito, por exemplo, cuja taxa de juros é de 10% ao mês ou mais. Não sabemos quanto tempo o Brasil levará para superar a crise atual. Portanto, todas as medidas que possam contribuir para reduzir despesas são indispensáveis. Nesse sentido, o Programa Ecoeficiência se constitui em importante ferramenta para identificar se o edifício está acima da média geral e, em caso positivo, conscientizar os moradores e adotar medidas de correção”, conclui Gebara.

União de esforços

O desenvolvimento do site Ecoeficiência também contou com o empenho de mais duas vice-presidências do Secovi-SP, a de Sustentabilidade e a de Tecnologia e Qualidade.

No entender do vice-presidente de Sustentabilidade, Ciro Scopel, todas as ações que possam contribuir para a preservação de recursos naturais e gerar economias merecem especial empenho do setor imobiliário e da sociedade. “A existência de um instrumento que permita avaliar o nível de consumo nas edificações residenciais pode determinar um novo tipo de atitude e, principalmente, medidas adequadas. É preciso lembrar que a sustentabilidade se apoia em três pilares: ambiental, econômico e social. Evitar desperdícios atende pelo menos duas de suas grandes premissas.”

Para Carlos Borges, vice-presidente de Tecnologia e Qualidade do Sindicato, as futuras referências decorrentes do site serão importantes também no que diz respeito à utilização de materiais que apresentem melhor desempenho. “Com base nos dados do Ecoeficiência, a realização de novos empreendimentos terá condições de identificar meios de ampliar o uso racional de água, energia e gás, com adoção de tecnologias de ponta. Conforme o caso, essas tecnologias também poderão ser empregadas em reformas de edifícios em operação”, considera.

Como participar

Síndicos devem acessar o site (www.ecoeficienciaemcondominios.com.br), efetuar o cadastro e informar os dados. Todas as informações têm caráter confidencial. As administradoras podem colaborar no fornecimento de informações necessárias para o preenchimento do questionário.

 



Fonte: Assessoria de Imprensa
Tags:secovi, programa, ecoeficiência, condomínios
Mais notícias

02/03/2017 – Data Center Sustentável
Idealizada pelo Pátria Investimentos, primeiro empreendimento da ODATA será inaugurado em março de 2017...


17/02/2017 – Alexandre Brown, diretor da Expo Arquitetura Sustentável, fala sobre o mercado e sobre o evento
Mostra reúne conteúdo relevante e exibe soluções e tendências sustentáveis para todo setor da construção ...


13/02/2017 – Fórum Construção e Arquitetura Sustentável
Conteúdo de palestras retrata desafios e soluções para a sustentabilidade na construção civil e arquitetura no Brasil...


31/10/2016 – Empresas firmam parceria para potencializar soluções sustentáveis em MG
União promete reposicionar Estado no ranking nacional de empreendimentos sustentáveis...


03/10/2016 – Inovação e ecoefiência marcam exposição na FIMAI Ecomondo
Entre os destaques, agência italiana traz empresas do País para mostrar a expertise no tratamento de água e geração de energia por meio resíduos sólidos...


29/09/2016 – Sustentabilidade para resfriar concreto
Com o uso de nitrogênio, processo proporciona redução no uso de água e energia...


28/09/2016 – Sicredi conquista certificação por sustentabilidade em Centro Administrativo
Empresa conquistou a certificação LEED EB O&M Platinum. Este é o primeiro edifício no Brasil e o quarto na América Latina a receber o reconhecimento...


12/09/2016 – Pós em Construções Sustentáveis recebem inscrições
Profissionais da arquitetura e engenharia devem valorizar os novos conceitos e as tendências da sustentabilidade e do meio ambiente. Cursos na FAAP preparam o aluno para esse novo cenário...


08/09/2016 – Centro Sebrae de Sustentabilidade recebe certificação internacional
Edifício situado em Cuiabá conquistou a classificação “Excelente” do BREEAM In-Use, a mais alta em toda a América Latina...


16/08/2016 – Aeroporto RIOgaleão opera com novo sistema de tratamento de água
Águas que apresentam concentrações de óleo acima do permitido devem passar por um tratamento de separação da água e do óleo...


VER MAIS >
Publicidade | Anuncie
Banner topo
Notícias
Vídeos
Edição do Mês
Guia de Serviços
Olho Mágico
Publicidade | Anuncie
Banner topo


Publicidade | Anuncie
Banner botão
Quality Systems - 03/03/2015
Rain Bird - 04/05/2015
Sustentech
Regional Telhas